domingo, agosto 07, 2011

Dia das avós

Esse post já deveria ter sido publicado há um tempo, mais precisamente desde o dia 26/07 que foi o dia das avós.

Minha avó paterna já se foi, mas não tínhamos contato. Não nos víamos nem nos aniversários nem no Natal. A última lembrança que tenho é ela deitada na cama do hospital um dia antes de seu falecimento.

Já minha vó materna... TODAS as minhas lembranças são dela: toda sexta-feira ela me buscava na escola, e também todos os netos, e era o dia de almoçarmos na casa dela. O carro dela ia cheio e brigávamos para ver quem ia na mala (na época ainda podia). Festa total!!! A sobremesa era sorvete de chocolate que ela mesmo fazia e também um tablete de chocolate ao leite ou um chocolate Surpresa (fazíamos coleção das cartas que vinham no chocolate). Domingo também saíamos para lanchar no shopping, só meu primo que ia lanchar sempre em outro local porque nunca gostava do lanche do shopping (ele sempre ia comer pão de batata com meu vô). Todo Natal passávamos na casa da vó, foram os melhores da minha vida... A árvore era imensa, repleta de presentes e ela sempre fazia uma guirlanda de bombom e só podíamos comer depois da meia noite. Tinha também o "Rancho do vô" que era a casa de praia deles que amávamos. Muita coisa aconteceu lá e ainda sinto o cheiro dos quartos e o frio do piso quando acordávamos.
Minha vó materna está viva, mas não a tenho mais; o "Mal de Alzheimer"  a tirou de nós e hoje ela não sabe nem que existe. Toma os medicamentos, mas a doença já está em estágio avançado. É como se eu não tivesse mais a minha vó Martha (sim, minha mãe colocou meu nome em homenagem à. minha vó e, além de tudo, ela é minha madrinha)  e é triste.

Mas a avó materna de Luís Guilherme, essa sim... minha mãe!!! Sempre esteve ao meu lado, em todos os momentos. Até quando eu mesma sabia que estava errada e, consequentemente ela também sabia, ela esteve ao meu lado. Ela é realmente a minha melhor amiga, tanto que eu nem consigo guardar segredo (até quando deveria guardar rsrsrs). O meu desejo de ter uma menina era que nossa relação fosse igual a que tenho com minha mãe, mas como é menino, vou tentar que seja igual. Digo para quem quiser ouvir que vou criar meu filho como minha mãe me criou (ela me falou um dia - emocionada,  que sente muito orgulho quando me vê falando isso para as pessoas). E no dia das avós, eu não poderia deixar de agradecer por TUDO que ela fez, faz e sei que ainda fará por nós; passar por tudo que ela passou não é para qualquer pessoa e ela segurou a onda e fez tudo com veemência. No dia das avós dei a ela um presente singelo, mas com significado infinito (abaixo está a foto) e ela usou com muito orgulho e fez questão de mostrar. Ah, ela também será a madrinha do meu filho.

Já com Guigui no colo



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amo quando você comenta aqui no meu cantinho!!!